Pêlo: Aparência e tosquia do Cão de Água Português

tosquia do cão de água português

O Cão de Água Português tem um perfil facilmente identificável quando se encontra com a pelagem cortada de forma típica. Todo o corpo se encontra coberto por uma densa camada de pêlo. O pêlo desta raça pode ser comprido e ondulado ou curto e crespo.

Na variedade de pêlo comprido, os fios são ondulados, lustrosos e fofos, formando uma trunfa na cabeça. As orelhas podem ter o pêlo mais longo nesta variedade. O cão com pêlo curto e crespo, apresenta uma pelagem mais baça que forma pequenos canudos, lembrando uma carapinha.

O Cão de Água Português pode apresentar uma pelagem sólida, de cor branca preta ou castanha, ou malhada, combinando o branco com o preto ou o castanho. Os exemplares pretos e brancos apresentam a pele ligeiramente azulada.

O pêlo quando deixado ao natural cresce por igual em todo o corpo. Contudo é a tosquia típica que dá o reconhecimento a este cão. Ao contrário do que possa ser inicialmente pensado, a tosquia segue padrões funcionais e não estéticos.

corte de pêlo do cão de água português

O Cão de Água Português é tosquiado no quarto traseiro, mantendo-se na zona dianteira o comprimento natural do pêlo. A excepção é feita na franja, que é aparada e também na zona no focinho, e a cauda permanece com um tufo na ponta. Este corte era inicialmente feito pelos pescadores.

O objectivo era libertar as patas do cão para que conseguisse nadar sem o peso extra do pêlo, mas mantendo quente os órgãos vitais. Por isso apenas a parte traseira é tosquiada.

A franja é aparada para permitir que o cão consiga ver sem interferências e o focinho também é despojado de pêlo, para que consiga agarrar o peixe ou qualquer outro objecto mais facilmente. Os pêlos na ponta da cauda são deixados ao natural para que a cauda possa flutuar.